Notícias
Notícias
Notícias
Audiências Gfk

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Segunda Opinião #101- "Conversas ao Sul": Uma boa aposta na RTP1?

Segunda Opinião #101- "Conversas ao Sul": Uma boa aposta na RTP1?


Estreada a 29 de setembro de 2014, "Segunda Opinião" é uma parceria com o site Fantastic Televisão, onde todas as semanas é abordado um assunto do mundo televisivo.

"Conversas ao Sul" é um programa que procura "estabelecer um olhar pelo mundo de quem nasceu ou vive abaixo do equadro". Emitido em direto na RTP África, todas as quintas-feiras, às 21h00, este formato recebe, nos estúdios de Lisboa, personalidades de diversas áreas, oriundas de países falantes de língua portuguesa.

Apresentado por David Dias, o programa te algumas das melhores características que muitos dos formatos das televisões generalistas não tem: um formato em horário nobre, com um estúdio amplo, em direto e com uma banda ao vivo. Se olharmos para o historial dos talk shows noturno da RTP1 nos últimos anos, apenas o "5 Para a Meia-noite" consegue reunir estes parâmetros.

David Dias é português, tem apenas 28 anos, mas é já uma das grandes promessas da televisão nacional. O homem que se estreou na rádio, passou para a televisão em 2012 e, com apenas 22 anos, apresentou o programa "Podium", sobre desporto.  Desde 2014 conduz "Conversas ao Sul" nas noites de quinta da RTP África. Com uma boa imagem e um visível à vontade em frente aos ecrãs e na relação com os convidados, David Dias é um comunicador que talvez tenha passado despercebido a uma grande parte do público em Portugal, mas que, com certeza, ainda tem muito para dar ao panorama audiovisual do pais. Com um registo quase informal e bem disposto, os convidados são sempre bem recebidos. E embora seja em direto, as conversas são sempre dinâmicas.

O mesmo se poderá dizer de "Conversas ao Sul". O formato da RTP África não fica atrás de outros talk shows noturnos produzidos e emitidos pela RTP1 e RTP2, destacando-se até em relação a anteriores formatos, como "Herman 2011", "Lado B", "Cá Por Casa" ou "5 Para a Meia-noite"; que são apenas alguns exemplos que nos últimos anos foram aposta da estação pública e aos quais "Conversas ao Sul" se assemelha.

Este será provavelmente um dos programas mais interessantes nos canais temáticos da RTP e acaba por se destacar por isso mesmo. O formato tem ainda momentos de humor e análise social, como é o caso do "Bloco Informativo", uma análise do que se passou na semana em jeito de noticiário satírico. Tem também uma banda ao vivo, algo cada vez mais raro nos formatos portugueses- e que, possivelmente, apenas Herman José procura manter nos seus programas. O cenário cumpre também o que é suposto, sendo amplo e bem decorado. À partida, poderíamos dizer que falta alguma cor ao estúdio, mas isso não se assume como um grande problema, uma vez que os tons apresentados dão um ar sóbrio ao formato, sendo uma evolução em relação ao cenário anterior.

Conteúdos à parte, a produção do programa da RTP África é marcadamente competente. Tendo em conta que é emitido num canal temático, seria de esperar uma produção mais pequena, com um baixo orçamento. Mas não é o que vemos. Produzido pelo Centro de Produção de Lisboa, "Conversas ao Sul" é despretensioso, com  momentos de conversa e que pisca o olho a grandes sucessos do passo, mantendo, contudo, os olhos no futuro. E enquanto assim for, permanecerá na RTP África, como há 5 temporadas.


Por: André Pereira (Fantastic TV)
Uma rubrica com a parceria "Fantastic Televisão"

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

"Segunda Opinião" #100- "Vale Tudo": O regresso do bom entretenimento?

"Segunda Opinião" #100- "Vale Tudo": O regresso do bom entretenimento?

Estreada a 29 de setembro de 2014, "Segunda Opinião" é uma parceria com o site Fantastic Televisão, onde todas as semanas é abordado um assunto do mundo televisivo.

A SIC decidiu voltar a chamar João Manzarra para as suas noites de domingo, com "Vale Tudo", que estreou dia 8 de outubro numa temporada que promete mais risadas e jogos do que nunca.

O formato regressa com César Mourão e Rui Unas como líderes de equipa, numa decisão que, apesar de não surpreender, agrada muito os espectadores, que olham para os comediantes/apresentadores com um carinho especial. Juntando os dois a João Manzarra temos a receita para a gargalhada quase completa.

O apresentador mostra mais uma vez que está a altura do desafio que a SIC lhe propôs. Este é claramente o formato favorito de João Manzrra e onde o jovem apresentador está mais à vontade.

"Vale Tudo" é um programa simples, cujo único objetivo é testar a resistência e cultura geral dos famosos convidados e divertir o público em casa. À partida, poderia ser um formato vazio e conteúdo mas a verdade é que tem tudo para resultar. Os jogos, as perguntas e até os convidados contribuem para o espectador passar um serão divertido em casa, longe dos problemas.

O "Cenário Inclinado" é o espaço para popular do programa. Mas esta nova temporada traz ainda novos e divertidos jogos, como é o caso de "Conversa de Surdos" ou "Karaike de Marcha Atrás".

 Na estreia, "Vale Tudo" devolveu ao canal de Carnaxide bons resultados, tendo em conta apostas como "Best Bakey" ou "Just Duet". Apesar disso, a SIC ficou atrás da TVI e RTP1 em média.

Neste momento, vemos a RTP1 e a SIC a lutar pela liderança com grandes formatos de entretenimento (no caso da estação pública temos o "The Voice Portugal") e a TVI a manter-se na linha de conforto com "Apanha se Puderes".

A verdade é que o canal 3 está de parabéns pela aposta, assim como a sua 'colega' RTP, que não desistem de trazer conteúdos diferentes para a grelha, embora nenhum deles seja novidade. Mas afinal, o público português prefere formatos mais testados e garantidos ou novidades? Seja qual for a aposta, a verdade é que cada vez mais 'vale tudo' na guerra de audiências.

Por: Filipe Vilhena (Diário da TV)
Uma rubrica com a parceria "Fantastic Televisão"

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

"Segunda Opinião" #99- 25 anos SIC: O melhor estará mesmo por ver?

"Segunda Opinião" #99- 25 anos SIC: O melhor estará mesmo por ver?

Estreada a 29 de setembro de 2014, "Segunda Opinião" é uma parceria com o site Fantastic Televisão, onde todas as semanas é abordado um assunto do mundo televisivo.
A SIC comemorou o seu 25º aniversário no passado dia 6 de outubro, sexta-feira. Para assinalar a data, a estação apostou numa maratona em direto, a partir da Praça do Município, em Lisboa. Um especial com um olhar no passado, mas com os olhos postos no futuro.

A abertura da festa ficou a cargo de Júlia Pinheiro e José Figueiras, dois dos fundadores do canal, num momento bastante simbólico, dado o percurso dos apresentadores no canal. A atual apresentadora das manhãs da SIC comemorou ainda o seu 55º aniversário no mesmo dia, relembrando o momento em que viu o canal privado nascer.

Interessantes foram também as VTs com mensagens de caras de outros canais e que marcaram também a SIC. É o caso de Catarina Furtado, Fátima Lopes e Alberta Marques Fernandes, três caras fundamentais neste percurso da primeira estação de televisão em Portugal. Enquanto Alberta Marques Fernandes foi a pivot do primeiro programa do canal, um bloco informativo emitido a 6 de outubro de 1992 às 16h30, Catarina e Fátima marcaram a história da SIC no entretenimento.
Ao longo dos dois, as duplas foram muitas. Diana Chaves e João Paulo Rodrigues, Bárbara Guimarães e Cláudio Ramos, Conceição Lino e Daniel Oliveira ou Rita Ferro Rodrigues e João Manzarra foram apenas alguns exemplos.

Ao longo da emissão, houve tempo para recordar imagens de formatos antigos. Mas este especial, que teve como lema “o melhor ainda está para ver”, procurou pensar o presente e o futuro da estação. Uma estratégia de comemoração diferente do habitual, mas que resultou bastante bem. Um dos exemplos concretos aconteceu durante a entrevista a Mariana Pacheco, Diogo Martins e Joana Ribeiro, que completaram também 25 anos em 2017.

Entre a maratona especial emitida durante o dia, foi ainda para o ar uma emissão do Primeiro Jornal em direto da Praça do Comércio que contou com uma entrada épica de Bento Rodrigues – que já nos tem habituado a estas aberturas ao longo da digressão SIC pelo país.

Músicas que marcaram as telenovelas da estação, conversa com algumas das caras da SIC e a promoção de formatos atuais – como "E Se Fosse Consigo?", "Vale Tudo" ou "Paixão", entre outros – foram alguns dos elementos desta comemoração. Perto das 20h, a dupla Júlia Pinheiro e Rita Blanco entregou 150.000€ a uma telespetadora – que teve ainda tempo para chamar “Fátima Pinheiro” à apresentadora do "Queridas Manhãs" – e encerrou a maratona televisiva com a família SIC em palco, ao som do hino da estação.

À noite, Clara de Sousa e Rodrigo Guedes de Carvalho conduziram um especial do "Jornal da Noite" e "Paixão" teve um episódio especial, com referências ao aniversário da SIC. Finalmente, pelas 23h, Conceição Lino e Daniel Oliveira despediram-se dos telespectadores com um direto a partir da Estufa Fria, onde os fundadores da SIC jantaram e onde estiveram presentes muitas caras da estação.
Este último bloco, com cerca de uma hora, acabou por se resumir a uma série de conversas com caras da ficção, entretenimento e informação, mas pecou pela falta de ritmo ou originalidade – sobretudo tendo em conta o horário em que foi emitido. O destaque vai para abertura deste bloco, protagonizada por César Mourão, onde o humorista passa em revista os 25 anos da SIC, ao longo de aproximadamente 5 minutos.

25 Anos é um marco importante para uma estação de televisão. Certo é que a SIC não está na sua melhor fase no que diz respeito às audiências. Longe dos áureos anos 90 em que Portugal parava para ver os formatos da estação, a história da SIC continua, ainda assim, a fazer-se todos os dias, naquela que é a primeira estação privada em Portugal. Até porque a promessa continua: “o melhor ainda está para ver”.

Por: André Pereira (Fantastic TV)
Uma rubrica com a parceria do "Fantastic Televisão"