segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Segunda Opinião #101- "Conversas ao Sul": Uma boa aposta na RTP1?


Estreada a 29 de setembro de 2014, "Segunda Opinião" é uma parceria com o site Fantastic Televisão, onde todas as semanas é abordado um assunto do mundo televisivo.

"Conversas ao Sul" é um programa que procura "estabelecer um olhar pelo mundo de quem nasceu ou vive abaixo do equadro". Emitido em direto na RTP África, todas as quintas-feiras, às 21h00, este formato recebe, nos estúdios de Lisboa, personalidades de diversas áreas, oriundas de países falantes de língua portuguesa.

Apresentado por David Dias, o programa te algumas das melhores características que muitos dos formatos das televisões generalistas não tem: um formato em horário nobre, com um estúdio amplo, em direto e com uma banda ao vivo. Se olharmos para o historial dos talk shows noturno da RTP1 nos últimos anos, apenas o "5 Para a Meia-noite" consegue reunir estes parâmetros.

David Dias é português, tem apenas 28 anos, mas é já uma das grandes promessas da televisão nacional. O homem que se estreou na rádio, passou para a televisão em 2012 e, com apenas 22 anos, apresentou o programa "Podium", sobre desporto.  Desde 2014 conduz "Conversas ao Sul" nas noites de quinta da RTP África. Com uma boa imagem e um visível à vontade em frente aos ecrãs e na relação com os convidados, David Dias é um comunicador que talvez tenha passado despercebido a uma grande parte do público em Portugal, mas que, com certeza, ainda tem muito para dar ao panorama audiovisual do pais. Com um registo quase informal e bem disposto, os convidados são sempre bem recebidos. E embora seja em direto, as conversas são sempre dinâmicas.

O mesmo se poderá dizer de "Conversas ao Sul". O formato da RTP África não fica atrás de outros talk shows noturnos produzidos e emitidos pela RTP1 e RTP2, destacando-se até em relação a anteriores formatos, como "Herman 2011", "Lado B", "Cá Por Casa" ou "5 Para a Meia-noite"; que são apenas alguns exemplos que nos últimos anos foram aposta da estação pública e aos quais "Conversas ao Sul" se assemelha.

Este será provavelmente um dos programas mais interessantes nos canais temáticos da RTP e acaba por se destacar por isso mesmo. O formato tem ainda momentos de humor e análise social, como é o caso do "Bloco Informativo", uma análise do que se passou na semana em jeito de noticiário satírico. Tem também uma banda ao vivo, algo cada vez mais raro nos formatos portugueses- e que, possivelmente, apenas Herman José procura manter nos seus programas. O cenário cumpre também o que é suposto, sendo amplo e bem decorado. À partida, poderíamos dizer que falta alguma cor ao estúdio, mas isso não se assume como um grande problema, uma vez que os tons apresentados dão um ar sóbrio ao formato, sendo uma evolução em relação ao cenário anterior.

Conteúdos à parte, a produção do programa da RTP África é marcadamente competente. Tendo em conta que é emitido num canal temático, seria de esperar uma produção mais pequena, com um baixo orçamento. Mas não é o que vemos. Produzido pelo Centro de Produção de Lisboa, "Conversas ao Sul" é despretensioso, com  momentos de conversa e que pisca o olho a grandes sucessos do passo, mantendo, contudo, os olhos no futuro. E enquanto assim for, permanecerá na RTP África, como há 5 temporadas.


Por: André Pereira (Fantastic TV)
Uma rubrica com a parceria "Fantastic Televisão"

Partilhe esta notícia

0 comentários: