Artigos recentes

"Duelos da TV" #23- "A Impostora" vs. "Amor Maior" (última edição)



Estreada a 30 de setembro de 2014, os "Duelos da TV" prometem surpreende-lo e prende-lo ao ecrã. Qual o melhor programa? É essa pergunta que vê respondida no final de cada edição.


A IMPOSTORA

"A Impostora" estreou a 4 de setembro de 2016 e conta a história de vingança de uma mulher que assume a identidade da sua irmã gémea quando esta desaparece num misterioso acidente de avião com um empresário rico e de mau carácter que lhes fez muito mal no passado. O objetivo é claro: destruir a sua família, começando pela sua mulher e irmão e vingar tudo o que este lhes fez. 

A trama apresenta, à partida, uma sinopse interessante mas um pouco confusa. Primeiro a trama avança alguns anos, acontece um acidente, depois as gémeas trocam de identidade, foi muita informação logo nos primeiros episódios. Aconteceu tudo muito rápido e de forma pouco explicita. Para além disso, a ligação de Verónica (Dalila Carmo) àquela família e a sua sede de vingança deixam muito a desejar, pois o empresário que fez mal à irmã desapareceu com ela no acidente, logo, esta não teria grandes motivos de vingança, uma vez que se pensa que este morreu. 

"A Impostora" tem uma sinopse que poderia ser bem explorada e daria "pano para mangas". A novela teve bastantes reviravoltas no inicio mas está agora muito parada, quando deveria sofrer exatamente do contrário. O autor e a TVI não conseguiram criar uma ligação entre os protagonistas e isso nota-se no desenrolar da história, onde a aproximação dos três não convenceu e não dá margem para grandes conflitos.

O facto de ser transmitida totalmente gravada pode prejudicar a novela, uma vez que não se podem fazer alterações na sinopse. Foi um risco que a TVI correu e a concorrência pode jogar contra isso. Contudo, não deixa de ser bom vermos o canal a confiar no sucesso e qualidade dos seus produtos.

A trama tem como protagonistas Dalila Carmo, Diogo Infante (Rodrigo) e Fernanda Serrano (Diana), que são, sem dúvida, um dos pontos atrativos da novela, apesar da suas personagens serem muito regulares e por vezes até cansativas. Nota-se o trabalho deles, principalmente da Dalila. Estão a brilhar nos seus papeis e ainda conseguem dar algum interesse à novela.

Do restante elenco, destacam-se ainda Pedro Lamares (Frederico), Maria do Céu Guerra (Lucrécia), Maria Leite (Luísa Fontes), o pequeno André Carvalho (Jaime) e Sandra Faleiro (Carolina), que conseguiu criar uma personagem bastante cómica e má ao mesmo tempo.
Em "A Impostora", Manuel Wiborg faz de Inspetor Camacho, a mesma personagem que interpreta em "A Única Mulher". A TVI parece continuar a inovar, depois de novelas com temporadas, temos agora transferência de personagens de novela para novela. Sem dúvida uma má opção, parece que estamos a ver o "cruzamento" de duas tramas e isso não é bom, cansa o espectador e desgasta a imagem do ator.

Desgastante também é o facto do canal ter apostado por gravar a novela em sítios como Angola, que nos faz lembrar de "A Única Mulher", até porque o local e alguns dos figurantes parecem ser os mesmos. Faltou inovação nesta produção.

Até agora vemos "A Impostora" a liderar as audiências, ainda que com pouca margem em relação à SIC. Contudo, adivinham-se tempos renhidos e o canal 3 estará atento.

AMOR MAIOR 
Estreada a 12 de setembro do presente ano, "Amor Maior" é a mais recente aposta da SIC na área da ficção e conta a história de uma jovem lutadora e apaixonada que vê os seus irmãos nas mãos de uma madrasta má e terá que lutar para os conseguir de volta. Será que ela os consegue recuperar sem perder a sua grande paixão?

Este é o mote inicial da trama, que se inicia logo com a paixão entre as personagens principais, algo que não transmite novidade, pois o amor à primeira vista é algo recorrente nas novelas portuguesas. À semelhança da TVI, também em "Amor Maior" tudo aconteceu muito rápido e de forma pouco natural, roçando o exagero até. A cena em que Sara Matos cai nos braços de José Fidalgo parece ter sido tirada de um filme romântico dos anos 80.

"Amor Maior" não tem uma sinopse inovadora, capaz de surpreender o espectador. Tem a típica história de uma vilã que assombra a relação de um casal apaixonado. O que vamos ver daqui para frente são os planos dessa vilã para os separar, nada que não tenhamos visto já. Por muito que a autora saiba dar a volta a isso, a história vai sempre rodar em volta do mesmo. Falta o fator novidade a "Amor Maior". A SIC decidiu apostar numa história clássica e jogar pelo seguro e não conseguiu trazer nada de novo ao ecrã.

O grande ponto de atração da novela são sem dúvida os atores, que se mostram em facetas diferentes do habitual. O José Fidalgo desta vez é bom da fita com Manel; a Inês Castel-Branco finalmente teve oportunidade de mostrar a excelente atriz que é no papel da vilã Francisca e o José Mata recebeu um papel de destaque com o Lobo. É isto que o público precisa, de ver os seus atores preferidos serem desafiados, fazerem papeis diferentes. Não apenas seguirem uma linha e fazerem sempre registo. É necessário inverter esta situação e dar oportunidade a todos de brilharem. 

Em "Amor Maior" podemos destacar Sara Matos, que se estreia na SIC como protagonista; Inês Castel-Branco, José Mata, a mostrar o seu enorme talento; Tiago Teotónio Pereira, que se mostra bastante à vontade na pele de Ricardo; a enorme Margarida Carpinteiro (Amália); Ana Guiomar (Maria Preciosa) e Rui Unas (Tomané). Tal como em produções anteriores da SIC, "Amor Maior" revela um elenco bastante bem constituído, onde podemos contar com atores que nem sempre são chamados para fazer uma novela porque existe outro com mais reconhecimento do público. 

A verdade é que o nosso país é demasiado pequeno para tantos atores brilharem, dai essa necessidade de haver rotação nos papeis e na dimensão dos mesmos para que todos possam mostrar o seu talento. Isso é notável nas SIC, apesar de existirem alguns que transitam de novela para novela, o canal preocupa-se em contratar caras diferentes, que trazem novidade ao ecrã.

"Amor Maior" ocupa atualmente o segundo lugar nas audiências, mas aproxima-se d' "A Impostora" a todo gás. Ainda assim, as atuais novelas dos canais privados não conseguiram manter a herança das suas antecessoras e revelam resultados mais baixos, ainda que positivos.

PONTUAÇÃO (0-10)
"A Impostora"- 5 PONTOS
"Amor Maior"- 5 PONTOS

Por: Marco Filipe

Diário da TV Designed by Templateism.com Copyright © 2014

© Copyright DiáriodaTV . Imagens do modelo de 5ugarless. Tecnologia do Blogger.