Artigos recentes

"Segunda Opinião" #3- "Jardins Proibidos": o que deve mudar


A sequela de "Jardins Proibidos" chegou à grelha da TVI na "maior": foi líder de audiências e conseguiu uma das melhores estreias num dia de semana. Tinha tudo (ou quase tudo) para resultar mas com o passar do tempo, e com a mudança para as 22h, a novela passou para segundo lugar e os resultados começaram a cair a pique.

Sinceramente acho que o a troca de horário pouco ou nada interferiu na mudança de resultados. A queda de audiências deve-se sobretudo à história e às personagens.

"Jardins Proibidos", para mim, não tem uma história principal. O "objetivo" da novela é apenas mexer novamente com o destino das personagens principais. Falta uma sinopse à trama, algo que o espectador leia e fique a perceber com o que pode contar. É uma sequela, mas isso não a impede de ter uma "base".

A trama começou "à deriva", só com a afirmação de que o destino de Vasco e Teresa iria cruzar-se novamente. Isso não é bom para quem vê. Só quem assistiu à novela em 2000 é que percebeu os primeiros episódios. Eu, por exemplo, que nem me lembro da novela fiquei ali a questionar-me sobre o que estava a acontecer.

A personagem de Diogo Amaral, que pelo que percebi tem uma química com Teresa (Vera), essa podia ser a tal "base" da trama. Algo do género: Será que Teresa fica com Vasco (Pedro Granger), o seu grande amor, ou com Eduardo?

Passando agora para as personagens, que é também um dos pontos fracos da novela. Existem núcleos que não fazem sentido nenhum. Além disso, as personagens cómicas pouco ou nada tem de engraçado.

Numa novela, todas as personagens devem fazer sentido, devem ter uma história que prenda, que faça o espectador identificar-se, é isso que falta em "Jardins Proibidos". Por exemplo, as personagens do Marco António Del Carlo e da Sandra Celas não tem nada que nos prenda ao ecrã, simplesmente andam ali só por andar. Ou a TVI lhes dá outro rumo ou tem que sair...

Acho que o canal de Queluz, com as alterações, devia também trazer mais algumas personagens de 2000, como a mãe de Vasco e a de Teresa. Também adicionar, ou mudar o rumo deste novo elenco.

Para além do que já referi, "Jardins Proibidos" não está atualizada aos nossos dias. Quase todos os núcleos são de classe média/alta. Não existem retratos de pobreza, emigração, enfim.

É isto que a TVI tem que alterar em "Jardins Proibidos", se não a trama vai ficar para a história como «a novela dos maus resultados», contrariamente à versão de 2000, que marcou o nosso país.

Por: Marco Filipe (Diário da TV)
Uma rubrica com a parceria do "Fantastic Televisão"

Diário da TV Designed by Templateism.com Copyright © 2014

© Copyright DiáriodaTV . Imagens do modelo de 5ugarless. Tecnologia do Blogger.